12/09/2017 16:05

Em outubro, a cidade de Belém (PA) comemora o Círio de Nazaré, uma das maiores expressões de fé do Brasil e do mundo. Todos os anos cerca de dois milhões de peregrinos lotam as ruas da capital paraense para manifestar a fé mariana. Em Brasília, a celebração ganha cada vez mais força com a paróquia Nossa Senhora de Nazaré, no Lago Sul, que celebra o Círio um mês antes da data oficial.

Por dois motivos o dia 8 de setembro foi escolhido para a comemoração. O primeiro por ser a Natividade de Nossa Senhora, data em que Portugal celebra Nossa Senhora de Nazaré.  Já a outra justificativa vem do desejo dos paraenses da comunidade do Lago em participar do Círio em Belém, que sempre ocorre no segundo domingo de outubro.

Maria da Glória Gama, coordenadora da Pastoral da Liturgia na paróquia Nossa Senhora de Nazaré, é paraense e tem uma grande afeição pela devoção mariana da terra natal. Viúva e mãe de quatro filhos, Maria conta que Nossa Senhora de Nazaré a fez voltar mais para Deus.

“A vinte e cinco anos atrás, ao dar à luz a minha filha, tive  sérias complicações no parto. Senti todo o amor de Maria  por mim (na situação). E se hoje me dedico inteiramente à  minha Igreja, posso dizer que fui evangelizada pelas mãos de Maria, porque a partir daí me voltei cada vez mais às coisas de Deus, buscando incessantemente a minha conversão”.

O Círio de Nazaré começou a ser realizado em 1960, no acampamento da Empresa Brasiliense de Eletrificação (EBE). A devoção foi trazida a Brasília por alguns paraenses que vieram trabalhar na construção da capital federal.

Em 1971 a paróquia Nossa Senhora de Nazaré foi criada pelo então  arcebispo de Brasília dom José  Nilton. O templo funcionou provisoriamente em uma casa  do Lago Sul, onde moravam alguns paraenses. Hoje, a Festa do Círio recebe cerca de três mil pessoas.

O tema da festa é definido pelo pároco Roberto Carlos Rambo. A partir daí são iniciados os preparativos do evento e, em especial, do manto que adorna a imagem durante a procissão.

Desde 2009, todos os bordados dos mantos são  temáticos. Em 2017, por ter sido instituído o Ano Mariano em comemoração aos 300 anos da imagem de Nossa Senhora Aparecida, a comunidade quis também homenagear a padroeira do Brasil e de Brasília: colocaram no manto elementos que remetessem a Nossa Senhora Aparecida e à capital.

O desenho do manto lembra os arcos dos monumentos de Brasília, o verde remete aos gramados e as flores às rotatórias e jardins da cidade de Niemeyer.

Maria da Glória explica que quem vai para o festejo ganha muitas graças pelas mãos da Mãe de Nazaré. “Tenho relatos de pessoas que estavam em depressão e que se sentiram amadas por Nossa Senhora durante esses dias de comemoração. Acho que a maior graça  que podemos alcançar, independente de todas as graças materiais, é  o nosso amadurecimento na fé: somos uma comunidade unida”.