Arquidiocese de Brasília presta condolências a Dom Francisco de Paula

Na manhã desta quinta-feira, 22, a Arquidiocese de Brasília realizou a Missa de corpo presente de dom Francisco de Paula Victor, bispo auxiliar emérito da Arquidiocese de Brasília, falecido na última quarta-feira, 21.

A celebração foi presidia pelo Arcebispo de Brasília, cardeal dom Sergio da Rocha e concelebrado pelos bispos auxiliares, dom Marcony Ferreira, dom José Aparecido e dom Valdir Mamede. Unidos a Igreja de Brasília, concelebraram também o cardeal dom Raymundo Damasceno Assis, Arcebispo emérito de Aparecida, dom Fernando Guimarães, Arcebispo Militar, Dom Augusto Alves da Rocha, bispo emérito da Diocese de Floriano (PI) e o clero de Brasília. Vários fiéis também fizeram questão de prestar a última homenagem a dom Francisco.

Em sua homilia, dom Sergio destacou a fé e esperança sempre presentes na vida de dom Francisco. Apesar das limitações ocasionadas pela doença, para dom Sergio, a vida de dom Francisco foi exemplo de perseverança, humildade e amor a Deus.

“É fé e a esperança na ressurreição e a confiança no ressuscitado é o que nos leva a viver e superar as dificuldades da vida, especialmente na hora da morte. A certeza de um dia ter a graça de ver Jesus com os próprios olhos esteve no coração de dom Francisco esses anos todos.”, disse o cardeal.

Dom Sergio também destacou a simplicidade de dom Francisco. “Gostaria de destacar a simplicidade de vida de dom Francisco. Ele sempre quis uma vida simples. Não fazia questão de luxos ou regalias, até mesmo por conta de sua citação de saúde. E mesmo sofrendo as consequências de suas enfermidades, dom Francisco se manteve o mesmo.”

Dando continuidade a homilia, dom Sergio leu um trecho da carta de renuncia apresentada por dom Francisco ao Santo Padre em 2010, na ocasião de seus 75 anos.

“Tenho para mim que tudo é graça. Também a condição física que as sequelas do AVC provocaram em mim, pois agora, mais que nunca, penso que o sofrimento do tempo presente não tem proporção com a Glória que irá revelar-se em nós. Nunca me senti abandonado, pois sei que o Espírito suporta a nossa fraqueza. Quero continuar, até quando o Senhor Deus julgar justo o meu apostolado silencioso, com meu testemunho e com minha oração, pois agora eu me regozijo de meus sofrimentos por Vós e completo na minha carne o que falta nas desolações de Cristo, pelo seu corpo, que é a igreja.”


Dom Sergio concluiu dizendo: “embora eu tenha tido a graça de conviver com dom Francisco e encontrá-lo muitas vezes, gostaria de ressaltar a imagem de dom Francisco como o bispo que sorria. De longe ele nos via e abria o sorriso. Quando alguém ia visitá-lo ele estava sempre sorrindo, porque ele era capaz de sorrir. Deus estava no seu coração, a fé estava o guiando e o amor de Deus estava lhe sustentando.  Que agora junto a Deus ele possa também olhar por cada um de nós.”, completou dom Sergio.

Sepultamento

O corpo de dom Francisco foi velado na noite da última quarta-feira, na Casa do Clero. Nesta quinta-feira pela manhã foi celebrada a Missa de corpo presente.

Após a Celebração dom Francisco foi sepultado na cripta da Catedral Metropolitana de Brasília, ao lado de Dom Newton.

Confira as fotos da Missa e sepultamento clicando aqui

Biografia

Francisco de Paula Victor, filho de Antônio das Chagas Pereira Júnior e de Francisca Lopes Gonçalves, nasceu em 11 de novembro de 1935, na cidade de Paraisópolis, em Minas Gerais.

Ingressou na Congregação dos Irmãos Maristas, na cidade do Rio de Janeiro, fazendo a primeira profissão em 1951 e os votos perpétuos em 1957.

Formou-se em Química pela Universidade Federal de Minas Gerais, em Filosofia na Pontifícia Universidade Gregoriana, em Roma. Especializou-se em Mariologia no Pontifício Instituto Marianum.

Foi Missionário em Moçambique, África, por 10 anos, a serviço da Província Marista de Portugal.

De volta ao Brasil, exerceu os cargos de Professor de Filosofia e Teologia, Mestre de Postulado e Juniorato (Escolasticado Marista) e Vice-Provincial, na Província Marista do Rio de Janeiro.

Foi Presidente da Conferência Regional dos Religiosos, professor da Universidade Católica e no curso Superior de Teologia, em Brasília.

Foi ordenado sacerdote em 1º de dezembro de 1990, com 55 anos, pela Arquidiocese de Brasília. Foi pároco da paróquia Santa Maria dos Pobres, no Paranoá, até janeiro de 1996. Também nessa época foi professor no Seminário Maior da Arquidiocese de Brasília e trabalhou como auxiliar na Nunciatura Apostólica do Brasil.

Foi ordenado bispo 26 de outubro de 1996, aos 61 anos, pelas mãos do cardeal dom José Freire Falcão, acolhendo o lema: “Humilibus Consentire “ – Solidário com os Humildes.

O bispo cumpriu a missão episcopal até o ano de 2011, quando completou 75 anos e apresentou carta de renúncia, como estabelece o Canôn, ao na época, Papa Bento XVI, que aceitou o pedido.

Dom Francisco vivia na Casa do Clero, em Brasília, onde recebia cuidados especiais por conta das sequelas resultantes de um grave derrame cerebral, sofrido há 20 anos, que paralisou as funções motoras dele, além de prejudicar a fala.

 

Por Kamila Aleixo

Contact Us

We're not around right now. But you can send us an email and we'll get back to you, asap.

Not readable? Change text.

Start typing and press Enter to search